Mensagem

A OBRA DOS DISCÍPULOS AINDA INACABADA: Uma visão de Mateus 28:18-20


Mensagem pregada em 04-08-2013 

 Edvaldo Beranger

Quando falamos em Missões, temos um paradigma errôneo dentro do Cristianismo. Este paradigma surgiu desde que as pessoas começaram a entender erroneamente o texto das Missões que está em Mt 28 – este texto é chamado de “a Grande Comissão”, mas ele poderia ser também como dizem vários missionários: “a Grande omissão”.

Mas o paradigma errôneo foi o que a Igreja entendeu como Missões e Missionários. David Bosch falando sobre os 7 paradigmas das Missões Mundiais, ressalta que as Missões sempre existiram e que o Evangelho de Mateus deve ser lido a luz da Grande Comissão. Assim ele diz: “Foi primordialmente por causa de sua visão missionária que Mateus se pôs a escrever seu evangelho, não para compor uma “vida de Jesus”, mas para oferecer orientação a uma comunidade em crise quanto à maneira como deveria entender sua vocação e missão.” (BOSCH, p.83).

Ao olharmos os Evangelhos de modo geral, a pessoa e a obra de nosso Senhor, notamos que “Missão é levar as boas novas a partir de onde estamos para todos os confins da terra.” Assim que, a Igreja chamou missionário, somente àqueles que saiam de sua terra e iam para outras terras, e missões é pregar o Evangelho, então criamos juntas missionárias estrangeiras e nacionais, confundindo ainda mais o povo de Deus. Aqui está o meu ponto, pois, dentro das Escrituras não há qualquer menção da palavra missão e sim de evangelização.

Por favor não sou contra as juntas missionárias, mas a junta missionária de Cristo na terra, somos nós, eu e você e mais aqueles que levam a Palavra de Deus para lugares onde eu e você não chegamos. Assim, insisto em chamar missionários a todos os crentes e cristãos espalhados por este mundo.

Agora o problema maior é: A Igreja sabe que é responsável por levar o Evangelho?  Quase sempre esbarramos no problema da obediência a Jesus. O que é importante?

Diante desse grande problema, veja como a Bíblia trata desse assunto: Nosso Senhor tratou sobre discipulado no sermão da montanha:  Mt 5 – Esse é o pressuposto de Mateus – modelar discípulos para executarem a ordem final de Jesus na Grande Comissão.

Alguém que refletiu bem o propósito do Sermão da Montanha foi John Stott. Ele subdividiu o Sermão da Montanha no conteúdo dos cidadãos do Reino de Deus. Assim, as bem aventuranças seriam o caráter desses cidadãos.

1) O caráter do cristão deve ser distinto do mundo, v.3-12 – o próprio testemunho de Jesus revelou-nos esse caráter. Como podemos pregar, discipular sem caráter? Stott explica que as Bem-Aventuranças são o fruto do Espírito de Deus, sem isto é impossível ser e viver a missão. Depois ele expõe:

2) A ação do cristão no mundo deve ser de sal – em dar sabor v.13, e de luz – no meio das trevas, v.14 – isto não se pode esconder, ela brilha. A cidade toda brilha – a cidade do Senhor! A única referência sobre uma cidade edificada é a Igreja, a cidade edificada por Deus, também chamada de “a Nova Jerusalém”(Ef  2:20 e Ap. 21:10ss). Essa mesma Igreja, edificada sobre o fundamento ( Mt 16:16) que vai levar a semente do Reino a todas as nações. Assim, pode-se ver que o próprio contexto de Mateus nos induz a Grande Comissão.

Mas o texto de Mateus 28 nos mostra quatro ideias interessantes sobre a nossa Missão que eu gostaria de partilhar com vocês: Se olharmos para o texto, vamos notar em algumas versões a palavra todo que aparece 4 vezes no texto (original – Pas, pasa, pan). Alguns teólogos encontram aí uma divisão diferente da tradicional, vista somente pelos verbos:

1) Toda autoridade me foi dada;

2) Todas as nações – indo, discipulando e batizando

3) Todas as coisas – que eu vos ensinei

4) Todos os dias – estou com vocês

Outros teólogos examinam os imperativos como “fazei discípulos” como o ponto alto do texto, mas se olharmos com atenção veremos que todas as ações só podem ser importantes a luz do todo. Veja: IDE + FAZER DISCÍPULOS + BATIZANDO + ENSINANDO – parece ser mais consequência do que causa. E há razões para crermos que a ênfase não deve ser nos verbos e sim na válvula mestra que causa a ação. Assim perguntamos: O que causa a nossa Ida, discipulado e ensino? Olhando para todos estes todos, vemos:

1) Sabendo que toda autoridade procede de Deus em Cristo, v.18. Nos mostra de onde vem a nossa Comissão, nossa mensagem. Ela não deriva de alguma coisa relativa, ou mesmo de um poder entre outros poderes. Ela deriva daquEle que tem o poder Cósmico, Absoluto, e que controla todas as coisas não pela imposição de poder injusto, mas naquele que é a própria justiça Absoluta. É a ele que devemos obedecer e crer que Ele tem poder para transformar qualquer coração ao qual levamos sua Palavra.

2) Sabendo que o alcance da nossa mensagem deve ser Todas as Nações, v.19a. Aqui está a amplitude, nada menor do que o mundo inteiro. A nossa mensagem não deve ser vista pelos nosso horizontes e sim para além dos horizontes. Jesus sempre chamou a atenção dos discípulos para levantarem ao auto os seus olhos. Evangelizar é olhar, é desejar que nações venham a cultuar o nosso Deus, é desejar que aqueles que não O conhecem, possam saber de sua bondade e amor em Cristo Jesus.

3) Sabendo que o conteúdo da nossa mensagem deve ser Tudo o que Cristo ensinou, v.20a. Aqui está demarcada que o conteúdo da mensagem não é o que eu gosto e nem o que me satisfaz, mas “todas as coisas” que vos tenho falado. Basicamente sabemos que tudo o que Jesus falou não estão registrados nos Evangelhos, pensar que esse conteúdo é só isto seria reduzi-lo muito. Mas tudo o que precisamos saber estão nas Escrituras. O Manual do Espírito Santo que deve ser pregado, ensinado e ser a matéria do discipulado e de tudo o que fazemos. Discípulos precisam das Escrituras, sem ela não verdadeira obediência a Cristo.

4) Sabendo que Jesus está conosco todos os dias até a consumação dos séculos, v.20b. A semelhança do consolo nos tempos de dor, o cristão que obedece a Cristo tem a sua companhia na Evangelização. O Evangelho de Mateus  começa nos prometendo o Emanuel – Deus conosco e termina dizendo que Ele estará todos e cada dia no nosso viver. Isto é maravilhoso, pois aquilo que o Filho de Deus não teve na hora da sua cruz ( a presença dos amigos), nós temos, sem falta por Ele.

Você está no Paradigma errado pensando que missões é somente para alguns? Ou você já está na visão bíblica que missionário é aquele que está levando o Evangelho a todas as pessoas? Pense nisto!