Os Eternos decretos de Deus Introdução – Parte #1

Ó profundidade da riqueza, tanto da sabedoria como do conhecimento de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis, os seus caminhos!

Rm 11.33.

Estudo #14

Introdução: Tudo em Deus está fora do alcance do homem, somente pela Revelação da Escritura podemos nos aproximar de Deus, mas sempre com cuidado. Agora falaremos  do que a Bíblia revela sobre “Os Eternos Decretos de Deus.”

Em Teologia – entendemos por decreto aquilo que é permanente e sem alteração, pois a vontade de Deus assim decretou. Um exemplo é o decreto da Criação – Deus decretou que criaria os anjos e os homens e o mundo, então pela vontade de Deus vieram a existir, (Hb 11:3), assim tudo o que Deus decretou não pode ser desfeito, pois por Sua Vontade veio a existir. Veja:

Tu és digno, Senhor e Deus nosso,
de receber a glória, a honra e o poder,
porque todas as coisas tu criaste,
sim, por causa da tua vontade vieram a existir e foram criadas. Ap 4.11.

A nossa Confissão de fé de Westminster expressa os decretos de Deus assim:

I. Desde toda a eternidade, Deus, pelo muito sábio e Santo Conselho da sua própria vontade, ordenou livre e inalteravelmente tudo quanto acontece, porém de modo que nem Deus é o autor do pecado, nem violentada é a vontade da criatura, nem é tirada a liberdade ou contingência das causas secundárias, antes estabelecidas. Ref. Is 45:6-7; Rm 11:33; Hb 6:17; Sl 5:4; Tg 1:13-17; 1Jo 1:5; Mt 17:2; Jo 19:11; At 2:23; At 4:27-28 e At 27:23, 24, 34. (Cap. III,1).

Ao estudarmos a Bíblia percebemos que Deus conhece todas as coisas, todas as possibilidades e nada pode escapar de sua visão. Neste sentido, Deus é Onisciente (sabe e conhece todas as coisas). A Bíblia chama isso de “decreto”, “propósito”, “desígnio”, “autoridade”, “poder”, etc…

O Apóstolo Paulo nos mostra que entre os Decretos de Deus está a nossa “eleição e predestinação” veja:
“… assim como nos escolheu, nele, antes da fundação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis perante ele; e em amor nos predestinou para ele, para a adoção de filhos, por meio de Jesus Cristo, segundo o beneplácito de sua vontade,…” Ef 1.4–5.
E ele acrescenta segundo o beneplácito (sua boa vontade) de Sua Vontade. Esta doutrina dos decretos não podemos entender tudo, mas se Deus não decretasse a nossa salvação, nunca poderíamos ser salvos.

Veja este decreto na boca de Jesus:

“Por aquele tempo, exclamou Jesus: Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque ocultaste estas coisas aos sábios e instruídos e as revelaste aos pequeninos. Sim, ó Pai, porque assim foi do teu agrado.” Mt 11.25–26.

Nós louvamos ao Senhor porque Ele decidiu por decreto revelar-se a nós e Jesus diz que assim foi do seu agrado.

O que estamos demonstrando é que a doutrina dos decretos eternos nos dá a segurança de um Deus que não muda, e se Ele prometeu é certo que nos dará. Veja este texto e examinemos seu maravilhoso conteúdo: Jo 10:27-29

27 As minhas ovelhas ouvem a minha voz; eu as conheço, e elas me seguem. 28 Eu lhes dou a vida eterna; jamais perecerão, e ninguém as arrebatará da minha mão. 29 Aquilo que meu Pai me deu é maior do que tudo; e da mão do Pai ninguém pode arrebatar.

Há 3 coisas sobre os Eternos Decretos de Deus neste versos:

1) As minhas ovelhas (e só elas) ouvem a minha voz, v.27 – Eu e você só poderíamos ouvir a voz do Senhor porque assim foi a vontade de Deus, o Pai, veja o que Jesus disse: “ninguém poderá vir a mim (ouvir a minha voz) se, pelo Pai, não lhe for concedido.” (Jo 6:65).

2) Jesus diz: Eu lhes dou a Vida Eterna, v.28,( pelo Decreto de Deus). Note que Jesus não diz: Eu possibilito a Vida Eterna, mas lhes dou. Nunca poderemos perder o que Jesus afirma sobre a Vida Eterna, pois isto é um decreto de Deus, então Jesus acrescenta: “jamais perecerão”.

As duas frases se completam. Deus, pelo seus decretos afirma: Eu dou a Vida Eterna para as minhas ovelhas e elas nunca mais ( eternamente) vão perecer. Aleluia! Que segurança tenho em Jesus, diz o hino.

3) Todos os filhos (ovelhas) do Senhor estão em suas mãos, v.28ce ninguém poderá tirar, v.29,  por causa dos decretos do Senhor, da vontade soberana do Senhor. Nem mesmo o nosso inimigo poderá desfazer os decretos de Deus. Essa doutrina nos dá segurança da imutabilidade de Deus.

Que esta doutrina nos ajude a firmar nossos passos cada vez mais nos planos e decretos de Deus.

Faça o teste e veja seus conhecimentos:

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s