BATISMO POR IMERSÃO OU ASPERSÃO? Estudo #6.2

Hoje estudaremos a segunda razão que nos propomos: Porque alguns dizem que é por imersão e outros [como nós os Reformados] cremos que o batismo seja por aspersão?

Pois, em um só Espírito, todos nós fomos batizados em um corpo, quer judeus, quer gregos, quer escravos, quer livres. E a todos nós foi dado beber de um só Espírito.

1 Co 12.13.

Textos básicos para estudo: 1 Co 10:1-2 ; Êx 14:22; Mc 1:4; At 2: 38,41; 8:12-13, 16, 36-38; 10:37-38, 47-48;  16:14-15, 33; 18:8.

A Igreja Reformada não brigou por causa da forma do batismo, mas há alguns dados suficientes na história da Igreja que demonstram que o batismo sempre foi por aspersão, isso mudou depois da Reforma. Houve um homem chamado Meno Simons que afirmou que a forma do batismo da Igreja Reformada era semelhante ao batismo católico e por isso, deu tanta importância sobre a forma que criou o movimento anabatista, (ana-  para cima, subir, levantar, mais batismo) separando-se dos Reformados que usavam e usam a asperção, isto foi chamado de Reforma Radical Anabatista.1

A Igreja Reformada entendeu que a forma do batismo é secundária, ou seja, a importância não está essencialmente na forma em si e nem na posição, tanto é que a forma não é mencionada nas Escrituras, [há alguns indícios como veremos a seguir], a única recomendação é que seja administrado com água e não com outro elemento.

Assim os Reformados entenderam o batismo, a Confissão de Westminster declara:

  1.  O batismo é um sacramento do Novo Testamento, [Mt 28:19], instituído por Jesus Cristo, não só para solenemente admitir na Igreja a pessoa batizada,[ 1Co 12:13], mas também para servir-lhe de sinal e selo do pacto da graça, [Rm 4:11], de sua união com Cristo, [Cl 2:11-12], da regeneração, da remissão dos pecados e também da sua consagração a Deus por Jesus Cristo a fim de andar em novidade de vida,[ Gl  3:27;  Tt  3:5; Mc 1:4;  At 2:38; Rm 6:3-4].  Este sacramento, segundo a ordenação de Cristo, há de continuar em sua Igreja até ao fim do mundo, [Mt 28:19-20].1

 

Neste sentido, o batismo é um sacramento instituído pelo Senhor para admitir na Igreja os crentes. Ele serve como sinal [como a circuncisão servia no Velho Testamento] de que pertencemos ao povo de Deus, o qual é administrado pela fé como selo do pacto da graça. Isso significa que o batismo em si não tem poder inerente nele mesmo [como a Santa Ceia também não tem], mas ele é um ato de fé como a Santa Ceia.

1) O batismo é comum a todos os cristãos, homens e mulheres, diferente do A.T. (Antigo Testamento) que era somente para os homens.

No A.T. só os homens participavam da circuncisão. Muitos não vêem a ligação entre os sacramentos já presentes no A.T. (circuncisão e páscoa) e transformados no N.T em Batismo e Santa Ceia. A Maioria dos batistas não veem relações entre a circuncisão e o batismo. Mas ao olharmos com atenção, veremos que o Velho Testamento sempre usou a aspersão em seus rituais, (há cerca de 200 aspersões no A.T.). Porque senão fica faltando uma conexão clara com o batismo no N.T..

A Páscoa equivale a Ceia, os elementos são parecidos, o pão e o vinho, mas na entrada das pessoas para o povo de Deus o elemento é o símbolo da água [que significa rompimento com a vida passada],  como o corte da circuncisão que separava através do sangue o israelita dos outros. Há profecias de que todos os incircuncisos serão destruídos, veja: Ez 32:32.  Hoje nós somos separados através do sangue de Cristo para uma nova vida, o batismo confirma isto.

Para pertencer ao povo de Deus as pessoas precisavam ter algumas características  preliminares para serem circuncidadas:

1) Nascer Israelita ou tornar-se um prosélito;

2) Ser circuncidado como sinal que pertencia ao povo do Senhor. Veja os textos: Gn 17:11,12; estrangeiros: Gn 17:13-14.  

3) Nenhum incircunciso poderia comer da Páscoa, Êx 12:48-49;

4) Os profetas pregaram que na nova Jerusalém não entraria nenhum incircunciso, Is 52:1; Jr 9:25

Da mesma forma o que se requer para alguém ser batizado?

1) Nascer de novo, Jo 3:3,5;

2) Passar pelo ritual do batismo como sinal do sêlo da fé; At 2: 38,41.

3) Não se dá a ceia para as pessoas que não pertencem a Igreja do Senhor, 1Co 11:27-29.

4) Na Nova Jerusalém só entrarão os salvos do Senhor, são aqueles que lavaram suas vestes no sangue do Cordeiro, Ap 7:9.

2) Todos os crentes do N.T. necessitam ser batizados, isto é obediência a Jesus.

O livro de Atos inicia a Igreja com 120 pessoas na Igreja que foi plantada por Jesus, e, neste sentido, alguns discípulos foram batizados por João batista, mas outros não. A partir do derramamento do Espírito no dia de Pentecostes, os crentes necessitavam ser batizados, veja At 2: 38,41; 8:12-13, 16, 36-38; 10:37-38, 47-48;  16:14-15, 33; 18:8.

A única excessão de salvação sem batismo com água foi o ladrão da cruz, [Lc 23:42], e ele é uma excessão e não uma regra, mas pode-se ver que há uma continuidade entre os israelitas que se tornaram cristãos nos dias de Jesus e após a sua acensão e no livro de Atos eles não foram batizados.

3) Todas as vezes que se fala do batismo com água, se fala do batismo do Espírito, porque?

Os Reformados entenderam que o batismo que salva e que valida o batismo com água é o batismo com o Espírito Santo. João batista disse: “Eu, na verdade vos batizo com água, mas vem aquele que é mais poderoso do que eu…Ele vos batizará com o Espírito Santo e com fogo.” Um simples estudo revela que o batismo de Jesus é mais importante do que o de João. A promessa do Espírito foi o batismo sobre a Igreja primitiva em que o Espírito veio sobre eles, veja: “de repente veio do céu um som, como de um vento impetuoso e encheu a casa… e apareceram, distribuídas entre eles, línguas, como de fogo, e pousou uma sobre cada um deles, todos ficaram cheios do Espírito Santo…” At 2:2-4.

Uma das razões porque nós os Reformados colocamos água sobre a cabeça está no símbolo da vinda do Espírito.

Nós não mergulhamos no Espírito, mas ele é derramado sobre nós como foi com os discípulos de Jesus [cf. At 11:16]. O próprio Senhor disse aos discípulos: Porque João, na verdade batizou com água, mas vós sereis batizados com o Espírito Santo, não muito depois destes dias.”

Então o batismo com água simboliza o derramar do Espírito do céu em nós.

Eu sei que muitos não creem assim e utilizam Rm 6:1-4  para provar que o batismo simboliza a morte e realmente significa, mas não é necessário mergulhar na água.

4) No N.T. há uma diferença entre o batismo de João e uma nova forma do batismo.

 

Não vou entrar neste detalhe aqui, mas João pregava batismo de arrependimento, era uma forma de purificação dos pecados, um romper com a vida passada e é justamente isto que o batismo veio a significar. Quem é batizado crê na promessa da salvação para ele e para a sua casa. Por isso o batismo de João ainda estava no V.T. veja Lc 16:16 – até João, agora estamos no principal e diferente batismo, o de Cristo Jesus.

Quando Paulo chegou em Éfeso (cf. At 19:1-7), eles tinham recebido o batismo de arrependimento [de João] e disse Paulo: “…João realizou batismo de arrependimento, dizendo ao povo que cresse naquele que vinha depois dele, a saber, em Jesus.” cf. At 19.4. O batismo da Nova Aliança é a admissão que cremos em Cristo, veja o v.5 – Paulo os batizou impondo sobre eles as mãos.

Por fim destacamos que no livro de Atos há vários batismos e a Bíblia pressupõe que sempre que um adulto cria, sua casa era batizada também, como a circuncisão, veja o caso de Lídia,  At 16:15 e do carcereiro  At 16:33.

5) Romanos 6:3-4  tem sido usado para atestar que o batismo é imersão, como alguém que sai da água.

O contexto de Romanos 6 é da nova vida em Cristo. O v.1 diz: Permaneceremos no pecado? O assunto é como podem permanecer no pecado os que ressuscitaram? A prova disto é o batismo que “representa” o rompimento com a morte, v.2. Hoje temos vida pois fomos batizados com Cristo na sua morte, [lembremos que na Aliança antiga o sangue era aspergido sobre o altar e depois aspergido com água dizendo que o Senhor libertou Israel de todos os pecados, isto santificava o povo, Hb 9:13,19-22]. Pois a morte significa o seu sangue que foi aspergido sobre nós. Este é o significado exato do batismo, a água representa, a separação, e a nova vida. Lembremos que a morte não está na tumba e sim na cruz, foi ali que morremos com Cristo.    

  

Resumo: O batismo é devidamente administrado com água, simbolizando a morte da velha vida e o ressuscitar da nova. É uma ordenança de Jesus e precisa ser obedecida. Assim os pais crentes devem apresentar seus filhos pela fé como sinal e selo do Pacto da graça.

 

Para um bom debate veja o vídeo: https://youtu.be/vOyBkLlEnc4

 

Teste os seus conhecimentos agora: Teste 1

Veja os estudos anteriores:

O que significa ser cristão? Estudo#1

A importância da fé salvadora Estudo #2

Conversão e regeneração Estudo#3 

Deus e sua Tri-Unidade Estudo#4 

A Justificação pela fé somente Estudo #5

A Importância do Batismo Cristão  Estudo #6.1

Sobre o Batismo Infantil: Algumas considerações – Rev. Augustus Nicodemus

Bibliografia

1 Confissão de Fé de Westminster, [s.d.].

2 OLSON, Roger, História da Teologia Cristã: 2000 anos de tradição e reformas. Tradução: Gordon Chown. São paulo: Editora Vida, 2001, p.426.

 

Anúncios

Sobre ipasigreja

Esta é uma Comunidade que pertence a Igreja Presbiteriana do Brasil e que tem por finalidade pregar o Evangelho de Cristo e edificar os cristãos na graça de Cristo. Nossa doutrina é Reformada!
Galeria | Esse post foi publicado em Batismo e Profissão de fé, Educação Cristã e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s