IDEOLOGIA: EU QUERO UMA PRA VOTAR

Padrão

Romanos 13:7   Pagai a todos o que lhes é devido: a quem tributo, tributo; a quem imposto, imposto; a quem respeito, respeito; a quem honra, honra.

Isaias 10:1-2  Ai dos que decretam leis injustas, dos que escrevem leis de opressão,  2 para negarem justiça aos pobres, para arrebatarem o direito aos aflitos do meu povo, a fim de despojarem as viúvas e roubarem os órfãos!

Sabendo que a nossa vida é passageira nesta terra e que estamos peregrinando pelos montes, pergunto: Como, enquanto cidadãos desta terra, devemos votar em candidatos para o bem comum? Aumento a questão, pois o voto de várias pessoas tem sido negociado durante muitos anos no Brasil. Sem contar a infelicidade (em minha opinião) de ver muitos pastores deixando seus cargos para serem políticos. Mas o que gostaria de ressaltar nesse artigo é o fato que os candidatos que entram nas instâncias políticas – municipal – estadual e – nacional são despreparados para a política. Não exito em dizer que a magistratura política é muito importante para todos, desta forma é necessário estudos, não somente de uma escola, mas graduação em ciências políticas ou pelo menos dentro da sociologia política.

Com respeito aos candidatos  analfabetos, creio que uma pessoa sem estudo não deveria ser político. Se olharmos para determinadas profissões técnicas veremos que o estudo é o requisito mínimo para elas. Mas na nossa cultura brasileira, política é algo que cheira brincadeira, cheira algo que é comum aqui como corrupção. Não basta ser honesto, é preciso saber escrever leis, entender de filosofia política, ética, história e teologia para saber respeitar. Claro que não estou dizendo que um analfabeto seria incapaz de legislar, mas o estudo é fundamental para que não elejamos pessoas apenas pelo nome (humorista), ou pelos gols que fez. Mas é a mesma coisa que pedir para um homem que não entende de construção porque nunca estudou arquitetura, tentar construir uma casa ou um prédio. Algo vai dar errado.

Quando assisto o horário político (tão mal feito) preocupo-me em quem é que vai me representar. Eu sou um cidadão que não conheço a maioria dos que estão ali, naqueles singelos minutinhos, dizendo o seu nome e sua proposta. Hoje nós votamos no “Ricardo do azulejo”, no “Tonhão da esquina”, na “Vera Leite moça” sem saber a ideologia de seu partido, sem saber qual é a trajetória política desse/a cidadã/o e pior, as vezes votamos apenas para ajudar fulano/a a dar votos para o partido. Isso não é democracia, mas uma anarquia política que leva a beira da loucura.

Eu tenho perguntas aos candidatos: Qual é a sua relevância nesse cargo e qual a sua contribuição para os mais fracos? Você crê em um Deus que cobrará você no tribunal final? Sua ética é baseada em qual código? Sua vida é pautada por qual Bíblia? Qual será a ideologia dessas pessoas? Ela é justa? Ela é pautada por princípios éticos doas quais concordo? Ou ela é humanista e sem  amor? Não quero uma ética protestante, quero uma ética justa!

Talvez alguns não gostem das minhas perguntas, mas elas são básicas, elas são para orientação pois, eu não quero um político evangélico, mas quero um político honesto e coerente e que me represente e defenda o direito das pessoas acima do seu próprio. Todas as religiões têm direito de pensar livremente, todas as ideologias, mesmo as que não concordamos, estas, têm o direito de se expressar-se livremente. Aliás, diga-se que a Constituição Brasileira em parte foi formulada sobre a Constituição Americana que tem a 1a emenda que diz:

“O congresso não deverá fazer qualquer lei a respeito de um estabelecimento de religião, ou proibir o seu livre exercício; ou restringindo a liberdade de expressão, ou da imprensa; ou o direito das pessoas de se reunirem pacificamente, e de fazerem pedidos ao governo para que sejam feitas reparações de queixas”.

A Constituição Brasileira diz no Cap. I, artigo VIII– “ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei;”

Mas quando políticos começam a usar de leis injustas e oprimir, começam a menosprezar a Constituição compondo leis de conveniência, de casamentos que não são casamentos, de impostos injustos e ainda sem direitos iguais a todos, temos que protestar. Parece que o Congresso, o Senado, e as instâncias legislativas desconhecem até mesmo a Constituição. Por favor, eu preciso saber se posso confiar o meu voto aqueles que são no mínimo, honestos para com todos. Lembrando que o voto é a única arma que tenho, peço a Deus que me dê discernimento para saber votar.

Que Deus nos ajude e tenha misericórdia do Brasil  e plagiando o Cazuza a quem nunca admirei, poderia dizer: Ideologia: eu quero pelo menos uma (boa) pra votar!  urna

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s