A NOVA CARA DO LIBERALISMO TEOLÓGICO

Nota

“Haverá tempo em que não suportarão a sã doutrina, pelo contrário, cercar-se-ão de mestres segundo suas próprias cobiças, como que sentindo coceira nos ouvidos, e se recusarão a dar ouvidos a verdade entregando-se as fábulas.” (II Tm 4:3-4)

Imagem

Estou pasmo em ver como o Diabo tem mudado suas estratégias contra a Igreja de Cristo. Correção, mudado entre aspas, talvez seja minha pobre visão destes tempos. Vamos colocar as coisas no papel e clarificar isto. Já notaram como o youtube, vimeo entre outros vídeos estão divulgando pessoas que são ex-crentes, ex-estudiosos, ex-católicos, ex-pentecostais, ex-presbiterianos, ex-calvinistas, ex-reformados, etc…, para falar mal da Bíblia e do Senhor Jesus? Ainda me refiro aos novos ateus e suas crenças deístas em que Deus não está presente diante do que está acontecendo. De onde vem tudo isso?

Na semana passada compartilhei em minha classe de teologia Bíblica do V.T., minha tristeza sobre este assunto devido aos vídeos de um site chamado Anti-missionário. Se você que está lendo não quiser se aborrecer, não vá até este site, mas precisamos estar atentos, pois uma onda anti-cristã (com adeptos do semitismo e do judaísmo), está por aí. Nestes vídeos,  Rabinos estão atacando a Jesus o Cristo, (O Messias) e não somente eles, muitos evangélicos anti-eclesiásticos também. Não gosto de falar sem apontar, tenho visto este espírito rebelde até dentro de minha própria igreja e denominação, isto é, pessoas se levantando contra o sistema, contra tudo o que se chama igreja. A Igreja (dizem estes) é um sistema falido de homens que estão no poder e querem escravizar as pessoas. Então, estes colocam-se como o sistema correto, que falácia!

Alguns estão montando suas igrejinhas e condenando as grandes denominações e o esquema nelas. Tenho minhas dúvidas, mas tenho a impressão que os movimentos em células, Igreja com propósitos entre outros, surgido no final do século XX tem alguma participação nisto. Tentar classificar é difícil pois estamos ainda no meio da enxurrada.

A nova cara do liberalismo está entre pessoas amarguradas com a experiência da religião. Vários crentes estão saindo de Igrejas tradicionais e indo para os “desigrejados” como falou o Rev. Augustus Nicodemus. Eles são “anti-tudo”, especialmente o templo, o ajuntamento e a organização. Eles parecem em tese com os quacres ou com a Congregação Cristã do Brasil. Eles são contra liturgia, contra pastor, contra sociedades internas da Igreja como união de homens, mulheres e jovens.

Eu me refiro a várias pessoas e seus adeptos (aqueles que curtem e dão um positivo nos vídeos). Pessoas  que só criticam as igrejas institucionais. Para eles, ser crente é ser otário, louco, burro e coisas desse calão por que eles estão certos e todos os outros errados. Então, eles atacam a Bíblia, os pastores, o Senhor Jesus dizendo que não precisamos mais de nenhuma igreja.

Talvez, isto tenha começado com o pietismo do século XVIII em que os crentes se revoltaram contra os liberais. Ou talvez, tenha vindo da simplicidade pentecostal de que não é preciso estudar as coisas de Deus, o Espírito fala. Estudo é do Diabo, diziam eles, (ainda ouvimos isto nos nossos seminários). Mas, deve-se misturar a estes também uma boa dose de liberalismo bíblico que veio das escolas alemãs. Sabe, aquele liberalismo que não crê em milagres, não crê na ressurreição, e não crê na Bíblia como Palavra de Deus. Eles tentaram pelo Método Histórico Crítico demonstrar que a Bíblia não tem razão, que o Cristo da fé da Igreja não é o Jesus histórico da história, assim, o que se prega não é a verdade, mas a instituição fundada por Constantino. Desde que o “Código da Vinci” (Dan Brown), reviveu ideias dos “Iluminatis”, “maçons” e ordens secretas, houve uma onda de pensamentos e proposições de teorias da conspiração dentro das denominações.

Estes dias vi um tal de professor Fábio (não tenho pessoalmente nada contra ele), mas com pensamentos extremamente liberais falando sobre crítica Bíblica dizendo muitas asneiras e pressupostos do liberalismo.

Em alguns “hangouts” tenho observado estes “falsos mestres” ensinando na internet ee nos vídeos que crer é a pior cousa que se faz. Isto é a nova cara do liberalismo teológico.

Muitos destes já apostataram da fé em Cristo, e não há mais nada de Evangelho neles, parece não haver mais nada do Salvador Jesus. Há uma arrogância, como Paulo falou nos versos de II Tm 4:3-4, eles se entregaram as fábulas,e como Judas, negando o bendito Salvador.

Por outro lado, há uma onda de Judaísmo Messiânico em muitas Igrejas pentecostais. Uma volta para Israel como se Israel fosse salvo por ser Israel, (isto vem do pensamento dispensacionalista antigo), o qual discordamos. Deus se escreve D-us, Jesus é “Yahusshua” ou “Yorshe” ou sei lá mais o que! Uma volta para a lei cerimonial, uma observância do judaísmo como se eles fossem os melhores intérpretes do     Novo Testamento (estou sendo irônico). Alguns até tocam shofar (instrumento) na hora dos cultos. Por trás destas coisas está Satanás, difamando tudo e deteriorando as coisas de Deus.

Estamos no século da imagem, ouvir não faz parte do vocabulário dessa nova geração de frustrados e decepcionados com a graça. Estamos na época do “show gospel” em que milhões de reais estão nos bastidores de cantores famosos e pregadores que se aproveitam da nova onda. Isto tem levado muitas pessoas a apostatarem da Igreja e criando certas “cobras” que agora que podem estão difamando as coisas de Deus. Bem profetizou Judas sobre estes que são como: “Ora, estes, da mesma sorte, quais sonhadores alucinados, não só contaminam a carne, como também rejeitam governo e difamam autoridades superiores. e ainda: “Estes, porém, quanto a tudo o que não entendem, difamam; e, quanto a tudo o que compreendem por instinto natural, como brutos sem razão, até nessas coisas se corrompem.” Estas palavras são muito precisas diante da atual circunstância.  (Jud 1:8 e 10).

Vivemos em dias turbulentos em que cristãos não sabem mais como se comportar diferenciando-se do mundo. Usam palavras torpes, xingando e deturpando o Evangelho do Senhor Jesus. Dentro das Igrejas históricas vemos apostasia. Dentro do movimento pentecostal e neo-pentecostal observam-se traços de uma teologia doente e carente de fundamentos bíblicos, mas apostasia crescente. Há uma defesa de uma igreja nas casas, menosprezando qualquer forma eclesiástica de reunião tais como: presbitério ou reuniões entre Igrejas.

Alguns destes defendem um Igreja virtual, você é crente e não precisa de ninguém que te diga o que fazer, ou que pregue a Palavra pra você. Pastor é uma invenção para pegar o seu dinheiro, (dizem eles) Tenho visto até mesmo alguns que são mais lights que utilizam a palavra “palestra” (como os Adventistas) para a pregação da Palavra. Geralmente eles não são muito claros no que pensam, começam chamando a atenção para algumas coisas erradas nos movimentos evangélicos, e há muita coisa errada em muitos setores da Igreja, mas Jesus nos advertiu na parábola do joio e do trigo para não tentar extirpar, ou colocar todo mundo dentro do mesmo saco, só Deus, na consumação, poderá fazer isto separando as duas ervas.

Tenho observado que estamos andando para uma profunda apostasia, posso estar errado, mas o que tenho observado são alguns que estão “decepcionados com Deus”, outros “com Cristo”, outros com a “igreja institucional” e são francos atiradores contra as coisas de Deus especialmente por que saíram do nosso meio. Como nos diz Judas mais uma vez: Ai deles! Porque prosseguiram pelo caminho de Caim, e, movidos de ganância, se precipitaram no erro de Balaão, e pereceram na revolta de Corá. Estes homens são como rochas submersas, em vossas festas de fraternidade, banqueteando-se juntos sem qualquer recato, pastores que a si mesmos se apascentam; nuvens sem água impelidas pelos ventos; árvores em plena estação dos frutos, destes desprovidas, duplamente mortas, desarraigadas;

ondas bravias do mar, que espumam as suas próprias sujidades; estrelas errantes, para as quais tem sido guardada a negridão das trevas, para sempre. (Jud 1:11-13).

Nesta breve exposição gostaria de destacar algumas coisas que tenho visto na teologia liberal que agora está atacando de uma forma mais intensa: Há dois tipos de liberalismo teológico e ambos são perigosos. Eles estão entre nós de uma forma sutil e deliberada, pregando até mesmo dentro das mídias evangélicas:

1) Há o liberal teológico – filosófico. É aquele que abandonou a Bíblia e consequentemente suas implicações e proposições. A Bíblia não é proposicional, ela é um conjunto de histórias convenientes. As partes em que ela não convém nós a calamos;

Talvez, você diga, mas isto não é novidade, sempre foi assim, mas eu te digo, agora esse liberalismo está  nas mídias sociais sendo anunciado por ex- qualquer coisa. Se olharmos a maioria dos que atacam o Cristianismo, perceberemos que são ex-cristãos frustrados que nunca conseguiram se projetar no mundo evangélico e agora conseguem aparecer falando mal do Cristianismo.

Esse liberalismo nega a Soberania de Deus, a Palavra de Deus, as doutrinas da graça, a doutrina do pecado. É uma forma liberal de interpretação da Bíblia de desconstrução (Roland Barthes? ), mas utiliza-se de pressupostos cristãos para inserir dúvidas, e desestruturar as bases cristãs. Ele dizem:  “Eu posso falar o que eu quiser”, pois,  não há escrúpulos e não há regras.

A Palavra de Deus que recomenda não usarmos linguagem que não seja boa para a edificação não tem nenhuma relevância, quanto mais as reivindicações sobre as profundezas do Espírito de Deus, por isso a “linguagem deles corrói como câncer, deturpando as coisas, (II Tm 2:17a).

É interessante que esse liberalismo teológico – filosófico atrai Rabinos anticristos, que como disse o Apóstolo Paulo: “eles têm zelo por Deus, mas sem entendimento”, (Rm 10:2). As consequências desse liberalismo veremos alguns anos no futuro, ainda é cedo para julgar, mas ele flui sobre outro tipo de liberalismo:

2) O Liberalismo ético – filosófico.  Este se apresenta de forma grosseira nas Igrejas. Talvez seja injusto colocar todos dentro desta frase: liberalismo ético. Tenho visto pastores que eu admirava falando palavrões e palavras boçais na internet. Estes, ainda quando querem, falam algumas coisas boas, mas a ética não procede do fruto do Espírito, cf. Gl 5:22: “amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, fidelidade, mansidão e domínio próprio”.

Nesta falta de ética, há falta de disciplina eclesiástica, pois há cristãos que pensam que podem fazer de tudo. Ouvi que jovens se encontravam numa determinada igreja histórica para irem depois do culto (casais) ao motel. Ouvi de um pastor da Assembleia de Deus que foi convidado para uma festa de aniversário a qual depois teve uma balada. Jovens que estão na Igreja, arrolados como membros, não são casados e vivem vida marital com seus namorados, não oficialmente, as erroneamente diante de Deus. Estou dando um pouco do que chamo de liberalismo ético-filosófico. Logo, estes sairão da Igreja institucional e começaram a falar mal dos pastores, das igrejas, da Bíblia e até do Senhor.

O que devemos fazer? 

Tenho aprendido que a política eclesiástica em muitos círculos tem sido: “deixa pra lá”, ou como Francis Schaeffer demonstrou que a “grande maioria silenciosas” permaneceu silenciosa. Vamos no unir a estes (silenciosos) ou não?

Não, vamos obedecer a Palavra de Deus sempre.O Apóstolo Paulo tratando sobre isto nos informa:

1) Nos últimos tempos teremos tempos difíceis, cf. II Tm 4:1. Escatogicamente falando não há nenhuma dúvida disto. Jesus voltará e devemos nos preparar com todas as implicações de sua volta.

2) Entretanto o firme fundamento permanece tendo este selo: por um lado, o Senhor conhece os que lhe pertencem e por outro, aparte-se da injustiça todo aquele que professa o Nome do Senhor, cf. II Tm 2:19. Há duas coisas a serem observadas, dois lados que todo o cristão deve firmar-se e viver: 1) Deus conhece os que são dele, seus eleitos e amados e devemos confirmar cada vez mais nossa vocação e eleição, (II Pd 1:10) e 2) devemos nos apartar daqueles que não professam o nome do Senhor, isto não significa amar, mas estamos falando de santidade. Tenho coado os meus ovidos diante de tantas asneiras musicais ou faladas. Usando o critério de Paulo é para se apartar da injustiça, ou de tudo que não é a justiça de Cristo.

3) Foge das paixões e segue a justiça a fé, o amor e a paz repelindo questões insensatas, cf. II Tm 2:22-23.  Existem questões apaixonantes de discussão, embora eu sei que o contexto de Timóteo não fosse este, e sim as paixões da mocidade, aquelas que são próprias da juventude, precisamos fugir de discussões que não dão em nada. Parei de discutir sobre assuntos que não resultam em nada. A ordem de Paulo a Timóteo deve ser obedecida por todos os cristãos, seguir a justiça, a fé o amor e a paz é um excelente conselho contra os liberais. Eles não buscam isso, e nem esse pessoal dos vídeos tem buscado isso. Tenho aprendido a ser extremamente seletivo, não só nos canais de TV mas também no facebook, email, instagran e youtube. Não tenho para perder e para gastar em coisas e questões insensatas.

As vezes sou chamado de chato, mas as pessoas que andam atrás disto não leem livros e nem tão pouco a Bíblia e vivem de escândalos e das mensagens do mundo gospel que aparecem nas mídias sociais.

4) Por último, coloco o que o Apóstolo Paulo diz a Timóteo sobre estas questões: disciplinando com mansidão os que se opõem, na expectativa de que Deus lhes conceda não só o arrependimento para conhecerem plenamente a verdade, mas também o retorno à sensatez, livrando-se eles dos laços do diabo, tendo sido feitos cativos por ele para cumprirem a sua vontade. (II Ti 2:25-26 ARA). Creio que aqui está algo a fazer com os liberais:

1) Disciplinando com mansidão, v.25a – falo a estes sem brigar, pensando sobre as suas atitudes. Se estes, estão na Igreja devem ser chamados para a sensatez e disciplinados, eles não se opõe a nós, mas ao Senhor Jesus e eles sofrerão se não se arrependerem;

2) Orar para que Deus repreenda o erro e nos ajude a compreender o erro. Parece que isto está implícito, pois Deus precisa dar aos liberais duas coisas: a) arrependimento para conhecer a verdade e b) o retorno a sensatez, pois há estupidez.

3) Eles são dignos de pena, pois são escravos e cativos do Diabo;

Que o Senhor nos abençoe e nos ajude para que a nossa teologia e a nossas vidas e consciências estejam sempre debaixo da autoridade de Cristo. A Ele toda a glória!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s